Arquivo do Autor

MARIAH VILMON – VIVA AS DIFERENÇAS!

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Super Mulheres Sem comentários

Boa tarde, pessoal!
Olhem só que diva a nossa SUPER MULHER de hoje:

MARIAH VILMON – VIVA AS DIFERENÇAS!

Meu nome é Mariah Vilmon , tenho 24 anos e sou uma mulher trans.

Sou o que sou e não posso mudar.

Eu nasci um menino, e conforme cresci fui descobrindo quem eu realmente era. Na verdade não escolhemos ser quem somos, simplesmente SOMOS!

Tive uma grande sorte na vida: minha família. Sempre tive deles o apoio para poder viver a minha vida e passar pelos desafios das minhas transformações, física e psicológica. Mesmo com a relutância inicial deles em aceitar a minha condição de trans, me apoiaram com todo o amor.

Atravessamos todos os desafios de mãos dadas! Eles são meu alicerce, meu porto seguro e o apoio deles é fundamental na minha vida.

Muitas vezes, claro, eu me senti confusa, perdida, sem saber exatamente onde me encaixava, quem eu era. Me questionava por não ser igual a todo mundo, não me identificar com os outros meninos, não gostar de meninas…

Aos quinze anos eu fui me descobrindo, me entendendo e com a ajuda de uma amiga iniciei a minha transição, comecei a tomar hormônio feminino e foi a sensação mais incrível de toda minha vida! Senti minha primeira TPM e amei! Hahahaha

Desde então sou uma MULHER completa, maravilhosa, eu amo a vida, amo a mulher que me tornei e ainda luto para ser todos os dias.

Hoje em dia não me importo mais com a opinião das pessoas sobre mim e não me deixo abalar por medo de preconceitos ou de não ser aceita. Luto para ter o respeito que tenho direito, como qualquer outra mulher.

Amo meu corpo, gosto de andar pelas ruas de salto alto, plena, confiante. Sou vaidosa, amooooo me cuidar e me sentir bem na minha própria pele.

Sou SIM, uma mulher, como todas as outras, que enfrenta desafios todos os dias, que tem suas batalhas e também suas vitórias!

Posso dizer que sou uma SUPER MULHER!

Menina, nem te conto! Meu amor de verão com 36 anos

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Menina, nem te conto! Sem comentários

Bom dia!
Me chamo Marina, tenho 36 anos, sou de SBC/SP mas moro em Fortaleza há 18 anos. Sou divorciada, tenho um filho e ano passado me apaixonei perdidamente nas minhas férias, por um rapaz que só vi uma noite e que nasceu no mesmo dia que eu.

Julho de 2018. Eu tinha acabado de sair de um relacionamento de 5 anos, estava na fase de renovação. Tinha 10 dias de férias e decidi viajar sozinha para Jericoacoara – mais conhecida como Jeri, uma praia maravilhosa do Ceará.

Eu já havia viajado só e ficado em hostel, mas sempre em quarto feminino. Só que por ser alta estação, o hostel só tinha quarto misto, ou seja, eu ficaria hospedada num quarto com mais 7 pessoas diferentes, homens e mulheres. Confesso que fiquei receosa, mas encarei essa viagem que seria só minha, eu estava precisando me reencontrar.

Cheguei em Jeri e no meu quarto tinha um rapaz muito simpático que já me apresentou para uma turma enorme, de diversas idades e diferentes lugares do mundo. Tinha gente do Ceará, São Paulo, Natal, Chile, Irlanda…me enturmei super rápido, apesar de ser uma das mais velhas da turma, mas com espírito jovem e sedento de novas aventuras.

Passei 6 dias em Jeri, fiz duas melhores amigas, a Milene e a Tati, garotas divertidíssimas de São Paulo. Aprontamos tanto durante esses 6 dias que dava para escrever um livro, mas um fato me marcou nessa viagem. Me apaixonei perdidamente por um piloto. Sabe aqueles amores de verão? Foi isso, rápido e intenso.

Numa das noites, fomos para uma baladinha sunset muito famosa na vila. Essa baladinha tinha a melhor caipirinha do mundo e o resultado: a gente bebia sem sentir, quando percebia, já estava bemmm alegre. Tinha um grupo de rapazes nesse dia e lá pelas tantas, acabei conversando com um, fomos andar na praia e o que mais me chamou a atenção nele foi que nascemos no mesmo dia, mesmo mês e mesmo ano. Sabe qual a probabilidade disso acontecer? De se encantar por alguém tão “parecido” assim? Mínima. Mas aconteceu.

Depois de muito implicar um com o outro (arianos, né mores?), fomos comer pizza. Lembro que ele me mostrou a carteira de motorista dele para comprovar a data de nascimento, já que eu achava que ele estava de brincadeira, só que eu não estava com a minha, então ele falava: você está querendo me manipular. Eu manipular? Sou a pessoa mais autêntica e sincera, ariana raiz mesmo.

Como ele ia viajar muito cedo no dia seguinte, foi cedo para o hotel, que por coincidência (ou não) era em frente ao meu hostel. Fiquei pensando numa forma de manter contato com aquele homão de quase 1,90 de altura, pois como estava bêbada, nem o nome dele eu lembrava. Só sabia onde trabalhava e a data que havia nascido.

Nessa mesma noite fui até a portaria do hotel que ele estava hospedado e deixei um recado num guardanapo: “Oi 23/03, adorei te conhecer e saber que tenho um ‘gêmeo de data, se quiser manter contato meu telefone é esse…'”. Dei as características dele para o recepcionista e fui embora.

Passei o restante dos dias apaixonada e tentando encontrar pistas dele nas redes sociais, mas não consegui nada, apenas descobri o nome através de uma foto no google. Voltei para a rotina e a vida seguiu. Ele não mandou nenhuma mensagem. Decidi acreditar que ele não recebeu o bilhete que deixei no hotel.

Um belo dia, em maio de 2019 – 10 meses depois – estou no instagram e vejo uma foto dele no perfil de um rapaz que eu seguia. Quase cai pra trás. Caramba, o encontrei de uma forma tão inacreditável!!! Imediatamente pedi para segui-lo, logo ele aceitou e mandei uma mensagem no direct: “Sério que encontrei o cara que nasceu no mesmo dia que eu? Hahahaha que legal”. Ele respondeu: “Mentira…eu estava tentando entender quem era, pensei que nem lembrasse mais daquele dia! kkk”. A conversa seguiu, mandei uma foto da minha carteira de motorista para provar que eu nasci no mesmo dia que ele (lembra que eu não estava com nenhum documento no dia?), falamos amenidades daquele dia e a conversa simplesmente esfriou. Assim, rápido do mesmo jeito que aconteceu naquela noite de julho. Um tempo depois vi que ele tinha começado a namorar, então desencanei. Desencanei assim, se ele me pedir pra me mudar pra Brasília eu aceito . 🙂

Menina, nem te conto!

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Menina, nem te conto! Sem comentários

Você tem alguma história hilária, incrível, interessante, digna de enredo de novela mexicana (também pode ser fofa ou meiga) ? Quer ver sua história publicada no MENINA, NEM TE CONTO e trocar boas risadas com os leitores da Mulher de 30?

Envia pra gente pelo email: falecomamulherde30@gmail.com.br
Toda terça publicaremos uma nova aventura.
Se você preferir, mantemos o anonimato… hahahahaha Vamos nos divertir juntos!