Arquivo do Autor

Menina, nem te conto! Parto inesquecível

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Menina, nem te conto! Sem comentários

 

Olá!! Espero que goste da nossa aventura:

Meu nome é Karyne. Tenho 31 anos. E essa foi a história do nascimento da minha filha.

Era primeiro de Janeiro de 2019. Ano Novo!!

Estávamos num restaurante almoçando com a família (meus pais, meu irmão, minha enteada, meu filho de quase 3 anos, meu esposo e eu) quando iniciaram as contrações.

Assim que percebemos que a coisa era séria, partimos para Florianópolis (200km da nossa casa) para ter um parto humanizado, respeitoso e feliz.

Chegamos ao hospital. Doula e fotógrafa nos esperavam. Ainda bem. Porque Rebeca não queria esperar muito. O elevador travou. Trouxeram uma cadeira de rodas pois as contrações eram fortes e Rebeca queria sair.

Correram comigo pelo corredor até um quarto que estava livre. O médico falou: “se ela nascer aqui e precisar de algum atendimento teremos que subir com ela pois aqui nesse quarto não tem equipamentos.”

Ele sabia que eu queria a cria debaixo dos meus olhos 100% do tempo. Então já me deu a solução:

“Outra opção é subir as escadas.”

Eu falei: “vou de escadas.”

(Eu não havia viajado 200km pra correr o risco de ficar separada da minha filha logo após o nascimento)

A cada dois degraus, uma contração. Médico atrás para o caso de a bebê resolver sair ali. Doula e marido me dando apoio para subir. Fotógrafa registrando tudo.

Não deu tempo de chegar até a sala de parto com banheira e todas aquelas coisas que eu havia usado no parto do primeiro filho.

Depois de alguns lances de escada, entramos na primeira porta, centro cirúrgico. A bolsa rompeu imediatamente. A enfermeira me ajudou a tirar o vestido e colocar um avental.

Então enquanto eu estava em pé ainda na sala, apoiando em uma poltrona, aguentando mais uma contração, só ouço o médico dizer “nossa, ela é cabeludinha”

Meu pensamento: “Meu Deus, minha filha vai nascer, eu estou em pé, e meu marido nem conseguiu vestir a roupa do centro cirúrgico.” Enquanto isso o marido estava entrando na sala, já vestido, e com os olhos arregalados por ter ouvido a fala do médico também.

Imediatamente colocaram um banquinho de cócoras pra mim. Marido sentou na poltrona logo atrás de mim. Foram 3 gritos de dor e Rebeca estava no meu colo.

Conseguimos, mais uma vez, um parto emocionante, empoderado e inesquecível.

Menina, nem te conto! O sutiã azul

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Menina, nem te conto! Sem comentários

 

MENINA, NEM TE CONTO!

O SUTIÃ AZUL

Início de namoro eu toda feliz fui a uma festinha de uma amiga da faculdade com o meu namoradinho. Depois resolvemos ir ao shopping e durante o passeio senti algo estranho em mim. Fui correndo no banheiro para verificar o que estava acontecendo e imagine, meu sutiã havia quebrado!

Fiquei arrasada pois havia partido o meu sutiã tomara que caia bem aquele de silicone atrás! Não tinha nem como amarrar.
Respirei fundo e resolvi sair do banheiro! Imaginei como ia chegar e falar ao meu namorado.
Meu Deus logo no comecinho de namoro!

Como não teve jeito, cheguei até ele com meu braços apertando a frente do peito, encostei nele e pedi para me abraçar e passar as mãos em minha costas. Foi quando ele percebeu e perguntou cadê seu sutiã?!?

Falei sem graça que havia partido pois era de silicone.
Prontamente ele me levou a uma loja para escolhermos um novo sutiã.

Ele vai descobrir meu segredo?! Kkkkk

Tive que falar para a vendedora que usava sutiã com enchimento!
Não era para ele ter descoberto meu segredo tão cedo assim!!!

Hoje estamos casados e felizes.

E sim! Meu primeiro presente foi um sutiã azul!
Guardo até hoje como recordação.

Beijos,
Tabita

YOHANNA GEROTTI – MINHA SEGUNDA VIDA

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Super Mulheres Sem comentários

Boa tarde, pessoal!

Estou aqui com lágrimas nos olhos lendo o depoimento da nossa SUPER MULHER especial do Setembro Amarelo.

A história da Yohanna Gerotti II me tocou e emocionou profundamente e fiquei muito feliz por ela topar conversar hoje conosco!

Espero que o exemplo e o trabalho dela sirvam de inspiração para quem perdeu as esperanças e acha que a vida não vale a pena.

Yohanna, parabéns pela sua coragem, bondade e determinação. Você é um anjo e faz a diferença na vida de muitas pessoas!

Sem mais delongas, com vocês, a Yoh:

YOHANNA GEROTTI – MINHA SEGUNDA VIDA

Oii, meus amores!

Sou Yohanna Gerotti. Para quem não conhece minha história, posso, a princípio, dizer que, aos 15 anos, tomei uma atitude imprudente, quando tentei cometer suicídio. Isso é chocante, eu sei.

Nunca tive problemas psicológicos, nem tampouco me sentia infeliz com minha vida. No entanto, certa noite, eu estava excluindo algumas mensagens intimas que troquei com meu, até então, namorado, e minha mãe me ligou querendo falar com meu pai. Certamente, levei o celular até ele e entreguei. Neste momento, me afastei e lembrei que as mensagens estariam expostas no término da ligação.
Apesar de meus pais sempre serem tranquilos em relação a eu namorar, além de jamais invadirem minha privacidade, eu ainda não havia contado a eles sobre essa pessoa. Portanto, ao ver as mensagens, meu pai preocupou-se com quem as estava me enviando.

Eu, porém, extremamente envergonhada e em pânico, confundi sua preocupação, com decepção. E isso me deteriorou subitamente. A dor que me dominou ao pensar ter magoado a pessoa que amo mais que a mim mesma, me impediu de esclarecer tudo, levando-me ao sair em disparate, ir para o meu quarto, e correr em direção a janela. Insensatamente, me atirei do 15ª andar do nosso prédio.
Se me arrependi? Sim, no mesmo instante em que senti o vento soprando em meu rosto… Mas já era tarde demais.

Milagrosamente, uma árvore amorteceu minha queda, me salvando, portanto. Apesar de não ter ferimentos externos e ter permanecido lúcida, fraturei quatro vértebras cervicais, me tornando tetraplégica — impossibilitada de mexer meu corpo do pescoço para baixo.

Sentindo-me presa no próprio corpo, passei sete anos me corroendo de culpa e remorso por ter me causado isso. Além de toda minha família, que sempre me apearam, também sofrer com as consequências do meu ato.

Em 2017, porém, quando recuperei parcialmente os movimentos dos braços apenas, retornei as redes sociais utilizando meu videogame, e, motivada pelos meus próprios erros, comecei a relatar minha história, por meio da página “Minha Segunda Vida”.
E assim, com o intuito de ser um exemplo a não ser seguido, dei início ao que me respondeu o porquê de meu coração continuar pulsando.

Várias pessoas me procuram diariamente, pedindo ajuda, para que, conversando, eu tente evitar que tomem a mesma atitude extrema e definitiva que eu.
Isso me trouxe um propósito, um sentido à minha existência: Deus me salvou para que eu os salve.
Com isso em mente, hoje, com 24 anos, não absorvo os preconceitos e julgamentos que recebo, porque nada se compara ao ler: “Yoh, você salvou minha vida.”

Essa sou eu de hoje… Uma mulher que não mexe os dedos, não consegue nem mesmo se alimentar sozinha ou pentear o cabelo. Mas que, ainda assim, faz a diferença na vida de muitos, pois foi capaz de abstrair do nada, a resiliência, humildade e empatia que não a pertencia quando pensava ter tudo.

Muito prazer a todos! <3

https://www.facebook.com/MinhasegundavidaYG/

https://www.instagram.com/yohanna.gerotti

Menina, nem te conto! Chiclete no cabelo

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Menina, nem te conto! Sem comentários

Curto muito a página da Mulher de 30 e sempre tive vontade de contar esta história porque acho engraçada.

Depois de um ano e meio namorando, terminei, só que ainda curtia muito meu ex. Sabia que ele ia estar numa balada na minha cidade, então me preparei para encontrá-lo “por acaso”.

Fui no salão, fiz escova, unhas etc, coloquei a melhor roupa do tipo “isso tudo para você” e fui. Quando ele me viu, veio falar comigo e ficamos conversando um tempão.

De repente resolvo fazer aquele charminho de passar os dedos pelo cabelo, qual foi minha surpresa quando tinha um chicletes grudado. Fiquei irada, imaginando quem tinha sido o $#%# que tinha feito aquilo. Fui para o banheiro e tive que arrancar o pedaço do cabelo junto com o chicletes. Fiquei bem chateada.

Voltei com o ex e nos casamos. Um dia quando estávamos lembrando dessa passagem, ele ficou meio quieto e eu achei estranho. Minha surpresa foi quando ele disse com a maior cara de pau que tinha deixado o chicletes cair no meu cabelo, ficou com vergonha de dizer, e quando percebeu no dia que eu fiquei enfurecida, tratou de ficar quietinho.
Mas eu o desculpei e seguimos juntos hoje em dia.

bjs
Suelen