YOHANNA GEROTTI – MINHA SEGUNDA VIDA

Enviado por Mulher de 30 em . Publicado em Super Mulheres

Boa tarde, pessoal!

Estou aqui com lágrimas nos olhos lendo o depoimento da nossa SUPER MULHER especial do Setembro Amarelo.

A história da Yohanna Gerotti II me tocou e emocionou profundamente e fiquei muito feliz por ela topar conversar hoje conosco!

Espero que o exemplo e o trabalho dela sirvam de inspiração para quem perdeu as esperanças e acha que a vida não vale a pena.

Yohanna, parabéns pela sua coragem, bondade e determinação. Você é um anjo e faz a diferença na vida de muitas pessoas!

Sem mais delongas, com vocês, a Yoh:

YOHANNA GEROTTI – MINHA SEGUNDA VIDA

Oii, meus amores!

Sou Yohanna Gerotti. Para quem não conhece minha história, posso, a princípio, dizer que, aos 15 anos, tomei uma atitude imprudente, quando tentei cometer suicídio. Isso é chocante, eu sei.

Nunca tive problemas psicológicos, nem tampouco me sentia infeliz com minha vida. No entanto, certa noite, eu estava excluindo algumas mensagens intimas que troquei com meu, até então, namorado, e minha mãe me ligou querendo falar com meu pai. Certamente, levei o celular até ele e entreguei. Neste momento, me afastei e lembrei que as mensagens estariam expostas no término da ligação.
Apesar de meus pais sempre serem tranquilos em relação a eu namorar, além de jamais invadirem minha privacidade, eu ainda não havia contado a eles sobre essa pessoa. Portanto, ao ver as mensagens, meu pai preocupou-se com quem as estava me enviando.

Eu, porém, extremamente envergonhada e em pânico, confundi sua preocupação, com decepção. E isso me deteriorou subitamente. A dor que me dominou ao pensar ter magoado a pessoa que amo mais que a mim mesma, me impediu de esclarecer tudo, levando-me ao sair em disparate, ir para o meu quarto, e correr em direção a janela. Insensatamente, me atirei do 15ª andar do nosso prédio.
Se me arrependi? Sim, no mesmo instante em que senti o vento soprando em meu rosto… Mas já era tarde demais.

Milagrosamente, uma árvore amorteceu minha queda, me salvando, portanto. Apesar de não ter ferimentos externos e ter permanecido lúcida, fraturei quatro vértebras cervicais, me tornando tetraplégica — impossibilitada de mexer meu corpo do pescoço para baixo.

Sentindo-me presa no próprio corpo, passei sete anos me corroendo de culpa e remorso por ter me causado isso. Além de toda minha família, que sempre me apearam, também sofrer com as consequências do meu ato.

Em 2017, porém, quando recuperei parcialmente os movimentos dos braços apenas, retornei as redes sociais utilizando meu videogame, e, motivada pelos meus próprios erros, comecei a relatar minha história, por meio da página “Minha Segunda Vida”.
E assim, com o intuito de ser um exemplo a não ser seguido, dei início ao que me respondeu o porquê de meu coração continuar pulsando.

Várias pessoas me procuram diariamente, pedindo ajuda, para que, conversando, eu tente evitar que tomem a mesma atitude extrema e definitiva que eu.
Isso me trouxe um propósito, um sentido à minha existência: Deus me salvou para que eu os salve.
Com isso em mente, hoje, com 24 anos, não absorvo os preconceitos e julgamentos que recebo, porque nada se compara ao ler: “Yoh, você salvou minha vida.”

Essa sou eu de hoje… Uma mulher que não mexe os dedos, não consegue nem mesmo se alimentar sozinha ou pentear o cabelo. Mas que, ainda assim, faz a diferença na vida de muitos, pois foi capaz de abstrair do nada, a resiliência, humildade e empatia que não a pertencia quando pensava ter tudo.

Muito prazer a todos! <3

https://www.facebook.com/MinhasegundavidaYG/

https://www.instagram.com/yohanna.gerotti

Comente com o Facebook

comentário(s)

Trackback from your site.

Deixe um comentário